Junte-se aos mais de 15 mil seguidores do IMP

revista-automacao.com
Mitsubishi Electric News

POR QUE OTIMIZAR A FUNCIONALIDADE DE SUAS MÁQUINAS

Por Eduardo Miller, engenheiro de aplicação da Mitsubishi Electric.

POR QUE OTIMIZAR A FUNCIONALIDADE DE SUAS MÁQUINAS

Novas tecnologias estão surgindo e remodelando a maneira como trabalhamos todos os dias. No setor industrial, o uso da automação está crescendo e ganhando força. O principal objetivo da automação é ter máquinas que executem tarefas e processos com maior eficiência, entreguem produtos de melhor qualidade e maior satisfação do cliente.

Manufatura aditiva, simulação gráfica 3D, interfaces amigáveis, IoT, conectividade, robótica e recursos avançados facilitam a transformação do processo de usinagem em um processo inteligente, no qual essas são algumas das tecnologias básicas da Indústria 4.0 para a usinagem.

Peças com alta exigência de precisão, acabamento superficial, velocidade e sistemas de fabricação flexíveis representam desafios cada vez maiores para o setor de manufatura. Além da engenharia mecânica e elétrica, software e tecnologia de controle (CNC) eficazes e confiáveis ​​são fundamentais, incluindo sempre novas funcionalidades e prolongando a vida útil dos componentes de uma máquina.

Para garantir que as máquinas funcionem sem problemas e que elas possam ter adição de recursos, é fundamental realizar processos de upgrades e inserções de opcionais de software, otimizando a sua funcionalidade.

Modernizando produtos legados
Produtos legados requerem modernização. Caso contrário, eles podem levar a falhas a qualquer momento. No entanto, um produto legado nem sempre é definido por sua idade. Pode ser devido à falta de suporte (sua obsolescência) ou sua incapacidade de atender às novas necessidades de um negócio ou organização que ele é considerado legado.

Muitas empresas continuam usando componentes obsoletos (arquiteturas de hardware do CNC), independentemente da idade ou qualidade das tecnologias subjacentes. O componente funciona bem há décadas e ainda é capaz de lidar com a maioria de suas tarefas. Na verdade, por que consertar se não está quebrado?

Na verdade, existem muitas razões para “consertar” seus produtos legados. O custo real de execução desse trabalho é o principal entre eles.

Muitas vezes, para otimizar o funcionamento de máquinas-ferramenta e CNCs, a instalação de opcionais de software, como expansões de coordenada de peças, de corretores de ferramentas e de armazenamento de programas, assim como High Speed/High Accuracy Control, são uma solução rápida, simples e que geram uma significativa redução de custo na linha de produção.

Máquinas ganham autonomia
Analistas da McKinsey destacam que os mecanismos tradicionais usados para controlar a variabilidade das máquinas antes dependiam de processos rigorosos para identificar desvios na produção e na intervenção de operadores qualificados para compensá-los.

No entanto, à medida que as máquinas se tornam mais inteligentes e adaptáveis, elas podem conduzir cada vez mais essa atividade automaticamente, usando sistemas de controle de circuito fechado para garantir consistência à medida que as condições internas e externas mudam.

Mesmo assim, a presença humana continua sendo indispensável. Um grande fator para avaliar e melhorar o desempenho das máquinas é o poder de observação dos operadores. Os funcionários que interagem constantemente com os equipamentos estão na melhor posição para monitorar as condições dos equipamentos.

Ao final, o objetivo de investir na atualização (upgrades) e na otimização das máquinas (inserção de opcionais de software) é aumentar a produtividade dentro da fábrica, proporcionar mais qualidade aos produtos fabricados, aumentar o ciclo de vida dos equipamentos e reduzir custos, o cenário ideal para o responsável pela linha de produção.

www.br.mitsubishielectric.com
 

  Peça mais informações…

LinkedIn
Pinterest

Junte-se aos mais de 15 mil seguidores do IMP